Translate

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Hoje eu sou um Gato



Fico a espreitar a vida;
Como o gato espreita sua refeição, talvez hoje eu coma uma ave, talvez um rato suculento e gordo, talvez uma tigela de leite que alguém esquecera a janela;
Talvez a vida me espreite também, me manipule me faça acreditar e seguir seus caminhos, me faça esquecer uma tigela de leite na janela;
Fico a espreitar o espreitador, olho seus movimentos calculados, sua respiração controlada para não despertar suspeitas, penso que posso ser ele, penso que me movo como ele;
Não, se fizeres tal movimento sua refeição será a de outro, não faças assim, assim não é certo;
Na verdade acho que sou louco, me sinto a espreitar o espreitador, sigo seus passos como se fossem os meus, mas ao mesmo tempo me sou tão completo, me faço de certo;
Sim daqui de minha varanda observo, penso, vejo as pessoas caminharem, reparo em cada passo, reparo em cada movimento, como somos tão diferentes;
Casacos, colares, chapéus, quanta gente moderna fazendo tantas coisas legais, e eu aqui a espreitar, fumando um cigarro atrás de outro cigarro, me entorpecendo de sono e monotonia;
Ah, como queria ser o gato, ou talvez o rato a fugir do gato, qual vida teria mais emoção?
A minha com certeza não, não vivo, não respiro ar puro, não trepo;
Respiro o ar do meu cigarro poluindo o pulmão que me faz respirar, faço sexo com minhas mãos, não tenho mais emoções;
Sou critico de mim mesmo, mas não sigo meus conselhos;
Quem dera eu ser um gato, ou o rato;
Ou a tigela de leite derramada, um desperdício....