Translate

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O Resto de Mim




Quanto mais subo a montanha, mais forte e gelado os ventos ficam
Minha voz já não faz eco, meus músculos não se tonificam
Levo em minha sacola um pedaço de pão, um cobertor e uma garrafa de vinho

Embaixo de um pinheiro, vou fazer minha fogueira de pinho
Pretendo espantar o frio e os males que me dão calafrio
Uso o resto de minhas forças, para tentar me manter vivo

Trouxe comigo também eu mesmo, que eu já havia esquecido
Talvez eu tenha que viver deste modo, para não ter mais com quem me desentender e de mim mesmo vou ser amigo
Levei minha vida fazendo o bem, paguei sempre mais do que as pessoas valiam e não recebi o troco

Vou fazer minha casinha, dentro daquele tronco oco
A natureza me dará tudo de que eu preciso, e se eu abusar ela cobrará o seu preço
Talvez me isolar seja o que eu preciso, talvez me isolar seja o que eu mereço.....